sábado, 27 de junho de 2009

fixe.

correndo sem parar, seguindo num percurso não muito certo. os ambientes só são familiares num ponto em que ainda não avistou.
as vozes distantes são as mais claras. músicas só são ouvidas se estiverem no volume 10.
o que é nublado e escuro é de fácil acesso.
as luzes demais segam os olhos.
o caminhar tranquilo o deixa sem ar e sem motivação pra seguir.
pediu pra vestirem óculos de um mundo que não existia.
o não, era a palavra absoluta; o tempero, o mais forte era pedido.
apagaram todas as luzes.

fechou os olhos e começou a acariciar o cabelo.

3 comentários:

Igor disse...

Gostei do continho, deu pra evocar umas boas imagens mentais :)

gerson oliveira disse...

estranho algumas coisas.

Bruna Kim disse...

adorei.