sábado, 7 de fevereiro de 2009

Os "EUS"

O meu muito “EUS”.

Nota: Na verdade eu já tinha essa ideia há muito tempo, mas à vontade de falar sobre isso só ocorreu agora, ao ler um texto com a mesma ideia.

Se eu fosse mulher seria ela.
Francesca, uma mulher simples, dedicada, e que ama muito os seus. Mas com uma energia dentro dela, que até mesmo ela se assusta ao ver esta em atividade. Chega um certo ponto da vida, que se você não toma ação nenhuma, a vida acaba que tomando por você, e lhe mostra que nada é apenas o que você vive.
Francesca é como eu, às vezes precisa alguém de longe e desconhecido bater na porta do seu coração para mostrar quem realmente você é.





Se eu fosse homem seria ele.
Clint Eastwood, é o ideal de um homem, todos deveriam ser como ele, elegante, fala mansa e grave, idéias revolucionárias. Toda a vez que vejo um filme seu penso, “pô, ele teve essa ideia primeiro que eu”. Mas né, essas coisas vivem acontecendo. Tem um pouco dele em mim, a delicadeza com que ele vê o mundo, os detalhes. Vivo a minha vida inteira assistindo os seus filmes. E isso é um deleite.





Ed Tom Bell.
Personagem de Lee Jones, no filme “Onde os Fracos não Têm Vez”, me vejo muito naquele personagem, recluso às vezes, mas determinado em certas ações, onde um campo que até você desconhece dominar, você se surpreende ao dominar.





Zac.
Meus Deus, a primeira vez que assisti “C.R.A.Z.Y.” eu disse, esse personagem sou eu, tem tudo de mim, a infância parecida, os mesmos questionamentos e tormentos, desejar que não se pode desejar, implicar com pessoas que não dizem nada do mundo pra você, amar um ídolo de rock, e com uma dificuldade enorme de se expressar quem você realmente é.





Eu seria ele.
José Saramago. Penso que quando eu ficar velho serei como ele, não vejo nada do passado dele no meu, mas com certeza terei a mesma opinião sobre vários assuntos da sociedade e do mundo. Sempre que leio ou vejo suas entrevista, as suas opiniões sempre batem com a minha.
Saramago é outro que eu vivo dizendo. “Pô, ele teve essa ideia antes de mim”.





O companheiro.
Samwise Gangi, é o amigo da ficção que sou na vida.
Tem uma fala que resume muito as minhas ações.

"Come on, Mr. Frodo. I can’t carry it for you… but I can carry you."






p.s.: as imagens foram escolhidas segundo o texto.

3 comentários:

renatoetc disse...

ficou melhor que o meu, HAHAHAHAHA ¬¬'
[inveja, né!]

coloquei o link do seu blog nos favoritos, e o link do post na minha lista.

abraço, man!

paulinha. disse...

eu tive uma participacao nesse post, neh.

:p

saudades, fah.
eu aqui no estados unidos, morrendo de saudades de vc.

beijos.

doug disse...

legal! o último foi bem fofis, tô precisando de um 'Sam' ;p

sobre Saramago foi quase um sacrilégio, mas tudo bem.

p.s: vc viu a exposição sobre ele em sp?