quinta-feira, 30 de abril de 2009

Deixar de SER você!

Andando pela rua cabisbaixo, até que uma hora você se depara com a sua própria imagem refletida num espelho. Começa a se perguntar que imagem é aquela que vê em sua frente. Num momento você sente que não se conhece e não conhece nada ao seu redor, joga fora o maço de cigarros, tira o moletom porque sente calor, e sente necessidade de algo que nunca teve, mas que sente ser preciso.
Você continua andando, e perguntas antes que nunca haviam povoado a sua cabeça, começam a lhe perturbar. Músicas que antes eram agradáveis, agora são insuportáveis. Você sente sede. Mas não de água, também de água, mas a sede é de algo mais, algo que você nunca teve, que você nunca almejou, que você até então nem lembrava ter necessidade.
A canseira bate em seu corpo, você procura um lugar pra se sentar, mas não um qualquer, os seus olhos encontram um lugar agradável. Mesmo assim, não é o que você quer.
Seus desejos são outros, a realidade não condiz mais com o que você se tornou, mas como chegou nesse estado? Apenas a sua imagem refletida lhe fez acordar pra que você se tornou em tão pouco tempo?

Um comentário:

Just disse...

e ae percebemos: estamos vivendo uma vida real.