terça-feira, 23 de setembro de 2008

Vapt-Vupt

Imagine você meu querido amigo leitor, está num ônibus voltando para casa depois de um dia agitadíssimo de trabalho e lhe dá uma vontade de ler alguma coisa rápida, coloca-se a mão no bolso e tira dali uma caixinha de fósforos, vem um senhor e diz a você que é proibido fumar no ônibus. Você vira para o senhor e muito educado diz, “isso não é uma caixinha de fósforos comum como o senhor conhece, isso é um livrinho de bolso”. O senhor espantado pede para ver e você compartilha com ele a novidade.
Apresento a vocês uma arte de Samir Mesquita, um escritor curitibano que inovou junto com a sua editora colocando caixinhas de fósforos como livrinhos de bolso de sua coletânea de contos que nela viraram cinqüenta microcontos, cada um com até cinqüenta caracteres (sem considerar o título e a pontuação).
Apaixonei-me pela obra, ele conta histórias divertidíssimas.

Alguns microcontos que você lerá lá.

Elvis não morreu.
– Então, me vê mais dez gramas.

...
Era hora de dar um salto na vida. Escolheu a janela do 10ª andar.

Ménage à trois.
- Tira essa mão daí.
- Não é minha.

Separação.
Não sabia se o que doía mais era o fim, ou a suspeita.

Tudo é tão charmoso, os continhos, o site, as caixinhas, a idéia do escritor. Você ri, fica pensativo, se emociona e fica super protetor com a caixinha.

7 comentários:

Henrique disse...

São de pessoas de iniciatova como esta que o brasileiro precisa para quem sabe um dia sair dessa ignorância política-social.

b. disse...

Ahhh.
Criatividade é a melhor coisa que existe.
A caxinha é a prova de que "Nem tudo que parece é."
*-*
amei a ideia da caixinha:D

b. disse...

E o detalhe maior:
AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI,AMEI.

Charles Angs disse...

acho que esse tipo de leitura prejudica a visão aaaaannn



Ménage à trois.
- Tira essa mão daí.
- Não é minha.


Q

demm charbak disse...

que coisa linda, quanta criatividade. o cara ainda é paranaense, dos meus.

e obrigado pela ousadia do post abaixo, espero despertar interesse sempre.

dré vechi disse...

ah mew, adorei, super genial e os minicontos parecem ser otimo, has vou pedir de presente pra alguém já que ontem foi meu niver :B

ha adoro coisas divertidas e criativas ;D



blog maravilhoso, como sempre :*

Pedro Antunes disse...

fiquei mtooo curioso!!!
o livrinho deve ser lindo, e mto interessante!
quero conhecer! hehe

=**